brasileirissimos.xpg.uol.com.br

WebMedia XPG

Qual o melhor momento para migrar sua empresa para a nuvem?


Gestores devem estar atentos às necessidades da organização e avaliar custo-benefício para os negócios

Se, há alguns anos, a computação em nuvem era vista como uma grande novidade para as empresas, hoje em dia ela se consolidou não somente como uma tendência, mas como um movimento natural para todos os tipos de companhia.

Um estudo realizado pela Intel mostrou que a migração para a nuvem deve alcançar cerca de 94% das organizações globais até 2020. Responsável por quase 50% da produção e do consumo de tecnologia na América Latina, segundo a IDC, o Brasil é um mercado com alto potencial de crescimento na adoção desse tipo de tecnologia.

Simplificando, a computação em nuvem é a entrega de serviços de computação – servidores, armazenamento, bancos de dados, rede, software, análise, inteligência e muito mais – pela internet para oferecer inovação mais rápida, recursos flexíveis e economia de escala. Normalmente, você paga apenas pelos serviços de nuvem utilizados, ajudando a reduzir seus custos operacionais, executar sua infraestrutura com mais eficiência e dimensionar conforme a mudança de necessidades de negócio.

A Play One, proprietária do Grupo Playcenter, hospedava todo o seu sistema em servidores on-premises e tinha uma alta demanda com suporte, com pouco tempo de sobra para o desenvolvimento de novas soluções. Além da preocupação em lidar com eventualidades que tirassem os servidores do ar, também faltava rapidez e maior integração no trabalho das equipes espalhadas pelos diversos parques da empresa.

Com a adoção do Azure – a nuvem da Microsoft -, a Play One conseguiu otimizar seus processos de CRM e modernizar a sua infraestrutura. Confira abaixo mais detalhes desse caso de sucesso:

A hora certa para migrar

Mas qual é exatamente o melhor momento para fazer a migração da sua empresa e começar a tirar proveito de todos esses benefícios?

Para saber quando tomar essa decisão, os gestores devem estar atentos às necessidades da companhia e, ao mesmo tempo, fazer a avaliação do custo-benefício desse movimento para os seus negócios.

Se a sua empresa apresenta todos ou alguns desses indicadores, está na hora de avaliar os principais custos e benefícios da migração para a computação em nuvem. Como essa é uma grande mudança na forma tradicional que as empresas pensam em recursos de TI, separamos motivos comuns pelos quais as organizações têm adotado esses serviços. Vamos lá?

Economia
A computação em nuvem elimina o gasto capital de compra de hardware e software, assim como a instalação e execução de datacenters locais. Além disso, essa tecnologia exclui a necessidade de fazer grandes contratações de especialistas em suporte, uma vez que esse trabalho será direcionado para quem realiza a manutenção da infraestrutura de cloud computing.

Segurança
Muitos provedores em nuvem, como o Azure, oferecem um amplo conjunto de políticas, tecnologias e controles que fortalecem sua postura geral de segurança, ajudando a proteger os dados, os aplicativos e a infraestrutura contra possíveis ameaças. Ainda tem dúvidas? Confira aqui quatro perguntas e respostas sobre segurança na nuvem!

Produtividade
A computação em nuvem otimiza o tempo da TI e limita as tarefas operacionais das equipes, fazendo com que elas possam acelerar o tempo ao obter metas de negócios mais importantes e adquirindo funções mais analíticas e estratégicas.

Escalabilidade
Os benefícios dos serviços em nuvem incluem também a capacidade de dimensionamento elástico. Isso significa fornecer a quantidade correta de recursos de TI – por exemplo, mais ou menos potência de computação, armazenamento e largura de banda – sempre quando e onde for necessário.

Como consequência de tudo isso, as empresas conseguem se modernizar e se manter competitivas no mercado, com chances de apostar em estratégias mais ousadas e voltadas para a inovação.

Gostou? Faça um teste gratuito e comece a usar o Azure agora mesmo! Clique aqui para criar sua conta gratuita.

A decisão é sua

Você tem consciência de todos esses benefícios, mas ainda assim gostaria de fazer essa mudança de uma forma mais gradual? Sem problemas! Esse é um cenário muito comum, inclusive. Se você comprou um equipamento de rede nos últimos dois anos, por exemplo, ele ainda não está depreciado e há uma necessidade emergencial em deixar de usá-lo.

Dessa forma, basta ir migrando gradativamente aquilo que não faz mais sentido manter ali. Nesse caso, a nuvem híbrida é o modelo ideal, já que ela é uma combinação do ambiente público – como o Azure – com o ambiente privado, que é desenvolvido e dedicado a uma única organização.

Esse tipo de computação é um modelo vantajoso para companhias que querem manter a estratégia de segurança e privacidade das suas informações e, ao mesmo tempo, ganhar em performance, escalabilidade e disponibilidade. Conheça aqui mais vantagens do modelo de nuvem híbrida.

No final das contas, queremos que você escolha a tecnologia que mais se adequa à sua empresa. O Azure é feito para todos os tipos e tamanhos de negócio. Confira abaixo como você pode continuar inovando e avançando cada vez mais na Transformação Digital com a nuvem da Microsoft:

Azure em números. Conheça o que faz do Azure a nuvem para todos. 54 regiões no mundo, mais do que qualquer outro provedor. Mais de 100 serviços. Mais de 70 ofertas de conformidade. 120 mil novas assinaturas por mês. 90% das empresas da Fortune 500 utilizam o Azure.

O post Qual o melhor momento para migrar sua empresa para a nuvem? apareceu primeiro em Blog Microsoft PME Brasil.

Publicidade

Fechar

CONTATO

Preencha o formulário abaixo

Fechar

Hospedagem HTML Grátis sem limite

Infelizmente este serviço foi descontinuado e não será possível criar um novo cadastro


Fechar

BLOG Grátis

Infelizmente este serviço foi descontinuado e não será possível criar um novo cadastro


Fechar

Esqueci minha senha

Crie já o seu cadastro

Fechar

ESQUECI MINHA SENHA

 

Se você esqueceu sua senha, digite seu login abaixo.

Se você esqueceu seu login, digite seu e-mail abaixo.